PUBLICIDADE
Topo

General colombiano aponta localização de membros das Farc na Venezuela

Diogo Schelp

04/09/2019 10h39

Imagem de vídeo no qual dissidentes das Farc anunciam retorno à luta armada, com Iván Márquez ao centro (Imagem: Reprodução/AFP)

Em entrevista ao canal colombiano Caracol TV, o general Luis Fernando Navarro, comandante das Forças Armadas da Colômbia, afirmou que o governo do país sabe exatamente em que locais da Venezuela estão escondidos alguns dos principais líderes do grupo narcoguerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Em resposta, o ditador venezuelano Nicolás Maduro, elevou o tom contra o governo colombiano nesta quarta-feira (4). Ele disse que Iván Duque, presidente da Colômbia, está fazendo "uma armação para agredir a Venezuela e começar um conflito militar contra nosso país". Maduro também disse que colocou suas tropas na fronteiras com a Colômbia em alerta.

Não é a primeira vez que Maduro fala grosso e faz ameaças militares contra o país vizinho, mas nunca passa disso. Afinal, o verdadeiro dano que ele pode causar à segurança da Colômbia já está em curso há muito tempo: seu governo não apenas dá refúgio a integrantes das Farc, que podem circular livremente na Venezuela e lá instalar suas bases de treinamento, como mantém uma relação de lucrativa parceria comercial com o grupo.

As Farc têm no narcotráfico sua maior fonte de financiamento e a Venezuela tornou-se, nos governos chavistas, a principal escala da cocaína para os Estados Unidos e para a Europa.

Há uma semana, o ex-número 2 das Farc, Iván Marques, divulgou um vídeo, ao lado de outros comparsas como Jesús Santrich e Hernán Darío Velásquez, o El Paisa, anunciando que estavam abandonando o acordo de paz que desmobilizou a maior parte do grupo, em 2017, e transformou-o em um partido político. 

Marques foi um dos principais negociadores do processo de paz que ele agora deixou para trás. Ele e seus companheiros juntaram-se, assim, a uma minoria dissidente do grupo que jamais aceitou entregar as armas.

Segundo o general Navarro, Marques foi localizado pela inteligência militar da Colômbia no estado de Apure e em Caracas, capital da Venezuela. Navarro afirmou que Santrich, que tem um pedido de extradição por tráfico de drogas emitido pelos Estados Unidos, também está em Caracas, e que El Paisa se encontra no estado de Bolívar.

Outros narcoguerrilheiros que, segundo o general, estão na Venezuela são: Henry Castellanos Garzón, vulgo Romaña, no estado de Bolívar, José Manuel Sabogal, em Apure, Enrique Marulanda (filho do ex-comandante das Farc, Manuel Marulanda), no estado venezuelano de Amazonas, e Iván Alí, no sul da Venezuela.

Em entrevista a este blog, a líder opositora venezuelana María Corina Machado disse que o Brasil pode ajudar a tirar Maduro do poder compartilhando informações com governos que ainda o apoiam, como os da Rússia e da China, sobre as atividades ilícitas do governo chavista, a exemplo de suas ligações com o narcotráfico.

Em sua entrevista, o general Navarro deu exatamente esse tipo de ajuda, contribuindo para desmascarar Maduro. Resta saber se a Rússia e a China se importam.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Diogo Schelp é jornalista com 20 anos de experiência. Foi editor executivo da revista VEJA e redator-chefe da ISTOÉ. Durante 14 anos, dedicou-se principalmente à cobertura e à análise de temas internacionais e de diplomacia. Fez reportagens em quase duas dezenas de países. Entre os assuntos investigados nessas viagens destacam-se o endurecimento do regime de Vladimir Putin, na Rússia, o narcotráfico no México, a violência e a crise econômica na Venezuela, o genocídio em Darfur, no Sudão, o radicalismo islâmico na Tunísia e o conflito árabe-israelense. É coautor dos livros “Correspondente de Guerra” (Editora Contexto, com André Liohn) e “No Teto do Mundo” (Editora Leya, com Rodrigo Raineri).

Sobre o Blog

“O que mantém a humanidade viva?”, perguntava-se o dramaturgo alemão Bertolt Brecht. Essa é a pergunta que motiva esse blog a desembaraçar o noticiário internacional – e o nacional, também, quando for pertinente – e a lançar luz sobre fatos e conexões que não receberam a atenção devida. Esse é um blog que quer surpreender, escrito por alguém que gosta de ser surpreendido.