PUBLICIDADE
Topo

Fachin homologa delação de Cabral, que pode afetar família de Lula

Diogo Schelp

06/02/2020 14h13

Sérgio Cabral

O ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin homologou a delação premiada de Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro que já acumula 268 anos de cadeia em diversas condenações relacionadas à corrupção no exercício do cargo. A informação é do site O Antagonista.

A delação foi negociada ao longo de 2019 com a Polícia Federal e estava em análise do STF desde o final do ano passado.

As revelações que Cabral vier a fazer a partir de agora podem abrir novas frentes de investigação. Entre os que têm motivos para se preocupar está o ex-presidente Lula, que já tem duas condenações no âmbito da Operação Lava Jato e é réu em outros seis processos.

Entre as informações que Cabral pode trazer à tona estão detalhes sobre os negócios da empresa de telecomunicações Oi com empresas ligadas a Fábio Luís Lula da Silva, filho de Lula. A Oi teria feito repasses a um sócio de Lulinha por meio de contratos com o governo do estado do Rio. 

Ao se tornar um colaborador da Justiça, Cabral tentará obter a liberdade já em 2020. Enquanto ele tentará sair, outros terão que lutar para não voltar para a cadeia.

Siga-me no Twitter (@DiogoSchelp) e no Facebook (@ds.diogoschelp)

 

Sobre o Autor

Diogo Schelp é jornalista com 20 anos de experiência. Foi editor executivo da revista VEJA e redator-chefe da ISTOÉ. Durante 14 anos, dedicou-se principalmente à cobertura e à análise de temas internacionais e de diplomacia. Fez reportagens em quase duas dezenas de países. Entre os assuntos investigados nessas viagens destacam-se o endurecimento do regime de Vladimir Putin, na Rússia, o narcotráfico no México, a violência e a crise econômica na Venezuela, o genocídio em Darfur, no Sudão, o radicalismo islâmico na Tunísia e o conflito árabe-israelense. É coautor dos livros “Correspondente de Guerra” (Editora Contexto, com André Liohn) e “No Teto do Mundo” (Editora Leya, com Rodrigo Raineri).

Sobre o Blog

“O que mantém a humanidade viva?”, perguntava-se o dramaturgo alemão Bertolt Brecht. Essa é a pergunta que motiva esse blog a desembaraçar o noticiário internacional – e o nacional, também, quando for pertinente – e a lançar luz sobre fatos e conexões que não receberam a atenção devida. Esse é um blog que quer surpreender, escrito por alguém que gosta de ser surpreendido.

Diogo Schelp