PUBLICIDADE
Topo

Diplomata ficará a cargo de combate a mudanças climáticas, diz Salles

Diogo Schelp

28/02/2020 19h08

Ricardo Salles

Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, diz que o diplomata de carreira Marcus Paranaguá, atualmente conselheiro na embaixada do Brasil em Buenos Aires, será o novo chefe da Secretaria de Relações Internacionais, encarregada do combate às mudanças climáticas.

"Ela passará a se chamar Secretaria de Clima e Relações Internacionais e terá um perfil mais executivo", diz Salles. O diplomata assumirá o cargo em maio e, até lá, as funções serão desempenhadas por um interino da própria equipe do ministério.

A secretaria era comandada desde janeiro de 2019 pelo também diplomata Roberto Castelo Branco Coelho de Souza. Na quarta-feira (26), foram publicadas as exonerações de Souza, de seu vice e de um coordenador. Segundo Salles, Roberto Castelo Branco saiu por motivos de saúde. "Aproveitamos e mudamos tudo", diz o ministro.

Trata-se de uma área sensível para a atual gestão do Ministério do Meio Ambiente, que é acusada por ONGs e governos estrangeiros de não cooperar nos esforços contra o aquecimento global. Roberto Castelo Branco chegou a ser vaiado em agosto do ano passado em um evento em Salvador (BA), ao apresentar dados de desmatamento. Ele teve de sair escoltado do simpósio.

Leia mais:

Durante crise amazônica, notícias negativas preocuparam embaixada em Berlim

Sem agenda positiva, ONGs ambientais podem agravar pobreza, diz pesquisador

Siga-me no Twitter (@DiogoSchelp) e no Facebook (@ds.diogoschelp)

 

Sobre o Autor

Diogo Schelp é jornalista com 20 anos de experiência. Foi editor executivo da revista VEJA e redator-chefe da ISTOÉ. Durante 14 anos, dedicou-se principalmente à cobertura e à análise de temas internacionais e de diplomacia. Fez reportagens em quase duas dezenas de países. Entre os assuntos investigados nessas viagens destacam-se o endurecimento do regime de Vladimir Putin, na Rússia, o narcotráfico no México, a violência e a crise econômica na Venezuela, o genocídio em Darfur, no Sudão, o radicalismo islâmico na Tunísia e o conflito árabe-israelense. É coautor dos livros “Correspondente de Guerra” (Editora Contexto, com André Liohn) e “No Teto do Mundo” (Editora Leya, com Rodrigo Raineri).

Sobre o Blog

“O que mantém a humanidade viva?”, perguntava-se o dramaturgo alemão Bertolt Brecht. Essa é a pergunta que motiva esse blog a desembaraçar o noticiário internacional – e o nacional, também, quando for pertinente – e a lançar luz sobre fatos e conexões que não receberam a atenção devida. Esse é um blog que quer surpreender, escrito por alguém que gosta de ser surpreendido.

Diogo Schelp